quarta-feira, 22 de julho de 2015

Prioridades: Em que lugar eu estou na hierarquia da minha vida?!

Oi gente, tudo bem?! Por aqui tá indo, apesar de tudo.

Hoje a história é longa... mas quero dividir com vocês porque muitas vezes não enxergamos algumas situações prejudiciais.

Comentei com vocês na postagem passada sobre a onda de pesadelos que estou tento. Eu fico revivendo coisas ruins do meu passado e acabo acordando. Ou chorando, ou assustada, chateada. Isso mexe bastante comigo. Confesso que já foi muito mais presente, a vida com o maridão tem cada dia espanta as memórias ruins e cria memórias boas. O que acontece que sempre que a gente tem uma vitória, a cabeça da gente quer celebrar, dividir as conquistas com as pessoas que você supostamente ama. 

Pra quem tá aqui a mais tempo, sabe que eu não tenho contato com ninguém do Brasil, com exceção do meu pai, e as vezes através dele falo com a minha sobrinha, de resto, estão excluídos da minha vida. E nesses momentos acaba me vindo a lembrança, a frustração que apesar de todos estarem vivos e bem, decidiram me virar as costas. 

Eis a razão da minha postagem de hoje. Eu sempre fui aquela pessoa que colocou família em primeiro lugar. Acima de mim mesma. Essa foi a minha criação. Levar em conta o bem comum por mais que as pessoas estivessem erradas, pra viver bem dentro do núcleo familiar. Sempre fui a pessoa que ajudou, deu tripas coração pra ajudar qualquer um dos membros. Fui babá de todos os meus primos mais novos, fui motorista de vó, busquei menino em escola, levei  até as primas mais velhas em médico, essas coisas quando necessário. Digitei cargas de mais de 300 processos em fins de semana cada vez que minha mãe ficava sem estagiária no trabalho para que ela descansasse. Fiquei sem sair inúmeras vezes pra não deixar minha sobrinha sozinha, emprestei meu carro, etc. Entre todos esses anos de dedicação o que eu ganhei de volta foi humilhação diária: "Puta, lésbica, Drogada". Tudo porque eu nunca tive preconceito e sempre gostei de Rock'n Roll. Fora o "gorda preguiçosa", brigas por conta de uma garrafa d'água, ter meus amigos expulsos da minha casa no dia do meu aniversário no meio da festa, entre outras coisas que eu não gosto nem de lembrar.

Desde os meus 13 anos essa tem sido a minha realidade. Pedi ajuda para TODA a família, avó, tios, primos, e sempre me mandaram calar a boca, que eu não sabia de nada da vida. Assim de uma excelente aluna, inclusive com premiações em redação, notas boas, eu virei a gorda deprimida dentro do quarto. Eu cresci aprendendo que a minha dor era menor do que todo resto. Que eu não tinha importância desde que todo o resto "aparentemente" estava correndo bem. Aquela imagem feliz de família feliz e perfeita fosse mantida.

Demorou muitos anos, mas eu depois descobri que a culpa era minha. Porque eu deixei passar. Eu deveria ter saído desse meio MUITO MAIS CEDO. Eu fui inocente em pensar que família obrigatóriamente é pra se amar e se proteger. Mas quando chegou a minha vez de ser amada e protegida, eu, que me deixei ser o saco de pancada no meio disso, simplesmente fui ignorada. Expulsa de casa. Lugar que supostamente deveria ser o meu lar, meu porto seguro. Um bebado chegou na minha casa, veio me agredir físicamente, foi impedido - não nego - mas me chingou e me humilhou pra todo o bairro ouvir as 3h da manhã. O pior dia da minha vida. E pra minha família mais uma vez eu deveria fingir que nada aconteceu. Eu deveria viver sob o mesmo teto com essa pessoa. Como eu me neguei, eu fui expulsa de casa. Só pra dizer, eu não causei a briga. Ele veio pra cima de mim.

Enfim, tô dividindo essa história com vocês, porque muitas vezes a gente vive pelos olhos dos outros. De pessoas tóxicas que não gostam de nada além de humilhar e prejudicar. E como consequência a gente acaba acreditando que isso é verdade. A gente se tranca, a gente se isola, a gente desconta tudo na comida. Eu sempre pesei entre 55/60 kg. De repente eu me vi com 98kg trancada dentro de um quarto porque eu não queria mais uma humilhação diária. Tipo um ratinho que sai da toca pra roubar comida e volta correndo pra se esconder.  Perdi a vontade de estudar, de fazer qualquer coisa. Eu não tinha ânimo, propósito pra viver, nada. Eu acreditava que eu era um fracasso. Qual era o ponto de me esforçar se eu não era mais do que uma gorda preguiçosa que não servia pra nada. Porque todos os meus esforços e ajudas para minha família nunca teve valor ou agradecimento. Não era mais do que a obrigação da inútil aqui.

Ainda tenho muitos fantasmas e medos vindo dessa época. Afinal só realmente saí desse meio agora que mudei de país, e mesmo assim meu passado me persegue. Porque esse coração mole e idiota sente falta de ter com quem dividir as alegrias, quer mostrar que é capaz, e que tem valor.

Finalmente eu me coloquei em primeiro lugar, tomei as rédeas da minha vida. Afinal viver pelos olhos dos outros só me trouxe dor, decepção, insegurança. E se eu parar pra olhar, caramba eu sei fazer tanta coisa! Eu fiz tanta coisa! E eu sou alguém tão incrível que em meio a toda humilhação eu ainda fui capaz de continuar ajudando essas pessoas que me fizeram tão mal. Tanto que ainda me perseguem, ainda procuram por notícias, porque sabem que eu sempre tenho algo a oferecer.

É isso que as pessoas não querem que você veja. O quão incrível você é. Que apesar de todo dizer ao contrário, sabem que você é útil. Tentam tirar o máximo de vantagem da sua mente fraca. Fazendo você acreditar que tem que fazer por merecer seu lugar "entre os bons".

Esse tipo de relação não é só familiar. Isso acontece em grupos de amigos e ainda sim em relacionamentos "supostamente" amorosos. Não deixe isso acontecer. Isso é tortura psicológica. Saia de perto de gente assim. Você só você é protagonista da sua história. A sua vida é só sua e de mais ninguém. Você só tem essa chance de ser feliz. Não deixe ninguém dizer que você não tem esse direito, que você não merece uma chance. Qualquer pessoa que te diga que seus problemas não importam não merecem seu carinho e dedicação. 

Aos poucos estou aprendendo a me amar mais, e provar a mim mesma as minhas capacidades. Dei passos até um pouco mais largos que as minhas pernas. Me joguei numa situação que eu achei que seria boa e graças a Deus deu certo. Casei muito rápido, mas com uma pessoa que eu conheço a vida inteira. Que eu sabia do caráter, da vontade de ser feliz e de fazer feliz. Eu nem sei o que seria de mim sem meu marido. Ele me apoia tanto, me coloca sempre pra cima. Me ajuda superar meus limites, minhas inseguranças, e me faz sentir linda mesmo com meus quilos a mais. Se existe justiça divina, ele é a prova disso. Porque depois de tantos anos de humilhação e dor, hoje eu só tenho amor e suporte.

Sair daquele meio de gente louca era o que eu precisava, não só mudei de cidade, mas mudei de país. Coloquei um oceano no meio dos meus incômodos. Ando na rua sem medo de topar com alguém que eu não quero, como já aconteceu. Finalmente eu sou eu. O que eu consigo é mérito meu, não tem "influência", nem positiva nem negativa. É neutro.


E você?! Em que lugar você se coloca na hierarquia da sua vida?! Você está em primeiro lugar?! Pare pra pensar sobre o que é tóxico, o que te prejudica, o que aciona os gatilhos da sua ansiedade e coloque distância. As vezes mudar de emprego, mudar de cidade, mudar de romance, ou até mesmo se afastar da sua família (uma pessoa ou várias), seja o que você precisa pra se reencontrar e ser feliz. Não tenha medo! Viver uma vida de dor e humilhação não é pra ninguém. Outra coisa que também convido vocês a pensarem é sobre as coisas que vocês dizem  ou a maneira que agem com quem está próximo. Atitudes e palavras podem prejudicar e muito a vida de outras pessoas, inclusive ser "imparcial". Fingir que não está vendo te faz cúmplice. Pois você sabe que alguém está sendo ferido verbal ou fisicamente e deixa acontecer como se fosse nada.

É esse o meu recado. Desculpem o texto longo. Mas acho que botar isso pra fora é algo que pode me ajudar a superar os meus traumas. Fui ensinada que eu devia ter vergonha disso, dessa situação. Mas eu não tenho que ter vergonha, pois realmente aconteceu, faz parte da minha história Quem deveria ter vergonha são as pessoas que tanto me prejudicaram. Que me viraram as costas desde quando eu era uma criança. Demorei mas encontrei meu lugar. Se esse texto servir de alguma coisa pra alguém, já vai me dar uma satisfação imensa.  


#Uma Música!



Até a próxima. 
Abraços!





Comente com o FACEBOOK!

14 comentários:

  1. Ultimamente estou pensando mais em mim e isso tem me feito um bem danado, me amando mais, vamos engolindo sapos e quando vemos estamos quase explodindo, agradeço a Deus por cada coisa que por mais simples pareça aos olhos dos outros, beijossss

    ResponderExcluir
  2. Fomos separadas na maternidade, hehe!
    Incrivel como parecemos.
    Eu tive o amor da minha mãe, não tem como negar, mas tanto problema com meu pai. Por preconceito tb.
    Mas vou te dizer uma coisa, eu hj sou chamada de anti social ppor algumas pessoas. porque prefiro ficar sozinha em casa, me amando, me cuidando, me divertindo com quem realmente eu ama e me ama, do que ficar de risinhos para pessoas (parentes e amigos), que não desperdiçam oportunidades de me humilhar. Até hj acontece. Ou pq sou evangélica, ou por ainda não ter filhos, ou por estar desempregada...sempre assim. Que se dane o mundo. Não me inporto de ser anti social e querer evitar maiores contatos com qualquer um, só quero PAZ e ser feliz!

    bju

    ResponderExcluir
  3. Andréia.. sei como é isso.. já tive muitos problemas em casa e em família.. mas eu acho que sim.. familia foi feita para amar e proteger e que para vc parar de ter pesadelos e carregar esses fantasmas vc deve perdoa-los. nao precisa ama-los agora, mas precisa agradecer, pois vc eh hoje, a guerreira, a corajosa, depois de tudo que vc passou.. e nesse momento precisa ter Fé e confiança em DEUS.

    Nao precisa contar pra eles que vc perdoa... precisa contar a si mesma.. e precisa se perdoar....
    gostaria muito que vc me mandasse um email para que conversamos melhor..
    rumoao70@gmail.com

    E não é o lixo dos otros que nos define.. mas o que nós fazemos com o lixo dos outrros... nao guarde.. e nao alimente essa mágoa.. supere... apague da sua vida.. tirando apenas o que aprendeu de bom...

    beijos amada.. e força aih!!!

    ResponderExcluir
  4. Ei amiga esse traumas que te persegue hein...
    Ainda bem que o mais importante esta com você Deus e Ele te deu um presentão hein...marido lembra quanto tempo ansiou???
    Não se entristeça viu e sobre se valorizar estou praticando isso diariamente...
    Você escreve tão bem que é uma pena quando o post acaba .Bjs estamos juntas qualquer coisa me chama no sap 11996056629.

    ResponderExcluir
  5. As vezes também sou aflingido por essa solidão e essa martelada mortal que o nosso proprio corpo castiga a nos mesmo...voce escreve como uma escritora,merece criar um livro,gostei muito do seu post...

    ResponderExcluir
  6. Sabe, Deda, quando a gente descobre e entende de uma vez por todas que somos prioridade, todo o resto perde a importância. Me faz bem? Então eu quero. Não faz? Só me traz dor de cabeça e tristeza? Jogo fora. Não posso imaginar o que você viveu, mas também tive meus momentos na vida onde quis sumir do mundo, nascer em outra lugar, em outra família. Mas como sou espírita, acredito que viemos na familia que viemos para aprender alguma lição, para evoluir de alguma forma. Então, se passar por tudo o que você passou serviu para te tornar uma pessoa melhor, simplesmente agradeça. E se você não conseguir perdoar os que fizeram tanto mal a você, reze, todos os dias para um dia conseguir perdoa-los, reze pela alma deles, eles precisam de luz e reze por você para tirar toda a mágoa do teu coração, porque mágoa é um veneno e você não merece viver com isso dentro de você.
    Um beijo grande pra você, que todos os seus objetivos sejam alcançados, que você seja muito feliz!

    ResponderExcluir
  7. Oi Deda, é sempre bom desabafar. Seu desabafo foi incrível, podemos ver que várias pessoas passam por situações na vida que influenciam por muito tempo. Estamos aqui para isso, amigas distantes, mas que podem ouvir (ler) o desabafo e entender mais da outra. Um beijo grande! ♥

    ResponderExcluir
  8. Família é mesmo muito complicado, eu moro com meus pais e meu irmão, e eles são tudo pra mim, e sempre digo pra eles que a minha família são eles e mais ninguém. Meu pai tem uma pancada de irmão, tenho primo que não acaba mais... mas desde sempre fui humilhada, chamada de gorda desastrada, a família nunca me chamava pra nada, só me tratavam bem perto do meu pai. Depois que cresci aprendi a selecionar quem eu queria ter na minha vida, não que eu tenha perdido o contato com eles, mas simplesmente coloquei eles como meros conhecidos. Meu pai as vezes reclama que eu não dou atenção aos meus tios e tal, e eu falo pra ele que nenhum deles (exceto um ou outro, claro) nunca me deu atenção então não tenho que fazer o mesmo pra ele.
    Enfim "Você só você é protagonista da sua história", não é fácil mas a gente aprender que só deve ter na nossa vida quem quer ficar na nossa vida e quem gosta da gente!

    ResponderExcluir
  9. Puxa Deda... não fazia idéia do que vc já passou. Sabe, assim como vc, já fiquei brigada com minha família, mudei de cidade e iniciei uma vida sem eles. Mas o que me aconteceu era indescritível... uma dor imensa, por mais que tenham me magoado, me ferido, isso não tinha feito eu deixar de amá-los. Eu fui capaz de perdoar quem nunca teve capacidade de me pedir perdão. Hoje ficou no passado graças à Deus.
    Hoje não preciso conviver com essas pessoas que me feriram, mas não tenho mais ódio mortal delas... porque me sinto superior e tenho pena das suas vidas medíocres.
    Sei que talvez vc sinta uma enorme dor dentro de vc. De mágoa, de ressentimento, de nostalgia... não sei definir. Mas nos sentimos em paz quando conseguimos perdoar. Perdoar não significa vc ter amnésia, significa conseguir passar uma borracha no ressentimento para se sentir em paz consigo mesma. Tente. Por experiência própria, você será mais feliz e será uma importante etapa para exorcizar seus fantasmas e nunca mais descontar tristeza na comida. Me conta depois, tá? Beijos e boa sorte!

    ResponderExcluir
  10. Lindo seu texto. Isso mesmo Andréia, você viveu situações horrendas, mas escolheu crescer e ir além delas. Você escolheu você! E isso não tem preço! Parabéns pela iniciativa e prepare-se, pois bons plantios sempre dão colheita farta! ( ah! E parabéns pelo trabalho! uhuuu! ) Beijo!

    ResponderExcluir
  11. Andreia,
    Acho que é exatamente isso que tu tem que fazer... falar sobre, colocar pra fora, não deixar esses pensamentos e lembranças te sufocarem. Às vezes fica muito pesado pra carregarmos tudo isso sozinha. O que não dá pra fazer é se arrepender, ficar colocando a culpa em si mesmo e se diminuindo. É uma tarefa diária e, muitas vezes, bem difícil. Por isso é preciso relembrar a si mesmo todo dia que a gente vale a pena. Temos situações bem diferentes, claro, mas também fiz da exclusão uma maneira de me proteger. Também comecei a me excluir com 13 anos, achar que eu era inferior a todos e tive muitos pensamentos seriamente ruins. É legal ver que, com o tempo, a gente cresce e amadurece. A gente coloca nossa cabeça no lugar e, embora os “problemas do passado” estarão sempre lá, a gente aprende a como lidar com eles. Não é fácil e não é do dia pra noite. É um processo. E tu te amando e focando na tua felicidade só tem a ajudar!

    ResponderExcluir
  12. Oi Andreia, você passou por muita coisa né? Mas fico feliz que vc cresceu muito também e a melhor escolha foi essa mesmo você em primeiro lugar claro que família é importante mas não podemos no anular. E tem que desabafar mesmo colocar essas coisas pra fora para ir se libertando . Estamos juntas . Ótimo final de semana beijos

    ResponderExcluir
  13. Dedaaaa minha linda!

    Já sabia de tudo isso e algumas coisinhas a mais... Mas é isso aí e tu já superou muita coisa!

    Hoje eu me coloquei em primeiro lugar :)

    Beijos
    Poli

    ResponderExcluir

Obrigada por me acompanhar! Se seu blog não estiver nos meus favoritos, me avise! Juntos em busca de uma vida saudável! =)