quinta-feira, 31 de agosto de 2017

Peso x Vida x Felicidade x Auto Estima

Oi gente, como estamos?! Aqui vai tudo bem na medida do possível. 

Hoje vou fugir um pouco do tema EMAGRECER e falar um pouco das reflexões que tenho feito sobre a minha vida, as coisas que eu passei, as coisas que ainda passo e como tenho construído minha felicidade e auto estima mesmo com todos os "contras" da vida de obeso. 

Primeiro o importante é frisar que mesmo sendo obesa eu não tenho problemas de saúde. Pressão tá ok, nada de diabetes, falta de vitaminas ou nada relacionado ao peso. Muitas doenças são relacionadas a genética e não somente a obesidade. Estar acima do peso pode sim agravar algumas doenças, mas nem sempre é a causa. Eu por exemplo nunca fui de doces apesar do peso, meu índice glicêmico tende a ser baixo.

Até porque ninguém faz mais dieta do que gordo. A gente sabe tudo sobre a vida fitness. Come granola, chia, linhaça, fruta, integrais. Alimentação é campeã! A diferença é que muitas das vezes a gente cai na tentação daquela cervejinha, do churrasco, da macarronada... Mas não quer dizer que a gente só come porcaria. Como qualquer ser humano NORMAL, tem dia de besteira, mas também tem dia de comidinha saudável. 

Mas vamos a história...

Demorei muito tempo a entender que a minha genética é assim. Quadril e coxa larga, braço de biscoiteira e qualquer escapadela vai direto pra barriga. É o meu biotipo. Eu sou o que chamam de mulher violão. Eu posso fazer a dieta que for, mas se não for na faca eu vou continuar com os coxões e os brações. Falo porque tem gente magra na minha família e eu mesma já fui magra (apesar de achar que era gorda por conta dos mesmos braços e pernas). Se eu soubesse naquela época que eu estava bem e não me colocasse tanto pra baixo por conta de um corpo que eu nunca ia ter, talvez eu não tinha chegado ao ponto que eu estou hoje. A pressão de ter AQUELE corpo padrão, me machucou muito desde a adolescência. Eu sempre sofri me comparando com as outras meninas e já que era "gorda" mesmo não faria diferença continuar comendo, descontar a tristeza na comida, porque ninguém jamais amaria alguém tão feia assim.


Tão vendo essa pequena barriguinha aí que nem era de nada? Mas por conta das coxas e dos braços eu sempre pensava que eu era OBESA, horrorosa, monstra. Gente! Quanta besteira! Sempre andava - e ainda ando - com os braços cobertos. Ninguém me vê sem um casaco ou blusa de manga não importa o calor!

O pior era saber que os rapazes se aproveitavam disso. Da minha falta de auto estima. Já que eu tinha vergonha de mim eu deixava que eles me escondessem, namorava em segredo, sendo grata que alguém tava perdendo o tempo com alguém como eu. Eles claro faziam isso pra ter mais de uma ao mesmo tempo, e eu - burra - achava que era justo. Não importava o quanto eu estudava, ou tinha "admiradores" por conta de ter banda que no fim das contas eu nunca achei que eu merecia algo bom. Afinal eu era um monstro, uma tosca. Era assim que eu me chamava de "tosca". 

Mas sabe, de certa forma foi bom pra mim. Porque por me achar feia eu comecei a me relacionar com gente que também era vista como feia. Que tinham os mesmos problemas e no fim eram pessoas maravilhosas. Namorei super magros, super altos, gordos, nerds, e claro pessoas normais e consideradas bonitas. Esse era o mais incrível. Os caras LINDOS sempre tinham uma queda por mim e eu nunca entendia o porquê! 

Mas daí eu comecei a reparar que quando você não se importa muito com essas coisas de beleza (não falo de não ter vaidade, e sim de estar sempre desesperado pra ser perfeito dentro do padrão) e só aproveita a vida você se torna uma pessoa melhor. Sabe aquela pessoa que senta na mesa e ninguém vê como mulher (era o que eu achava) que fala besteira, bebe cerveja, joga sinuca, curte a conversa e a noite com os amigos? Essa era eu. E algum desses amigos começaram a ver mais em mim do que eu via. 

Meu pai me ensinou que eu não devia ser tratada menos do que uma princesa. A minha vida é uma dádiva e que jamais eu deveria deixar alguém me diminuir. E se não for pra ser bem tratada não vale a pena. E o melhor é o quanto isso afeta as pessoas. Sabe aqueles caras que as meninas viam como feio e nunca deram moral? Então, depois de começarem a namorar comigo, me tratar bem, as outras "moças" cresceram os olhos e começaram a dar em cima. E o mesmo foi comigo. Por que aquele cara tá com ela? O que ela tem de especial? Ela é só uma anã gorda... As pessoas não são nada mais nada menos do que influenciáveis pelo seu grupo de convivência.

Assim eu passei a reparar que eu tenho sim algo de especial .Eu tenho empatia, eu me divirto, eu aproveito a vida. Não digo não pra um churrasco e uma cerveja numa boa companhia. Curto uma noite de fondue e vinho sem contar calorias e acabar com esforço do cara que preparou tudo isso pra me agradar. Eu era uma mulher sem frescura. Sem "não toca no meu cabelo porque vai estragar minha chapinha". Se é pra pular na piscina no churrasco com os amigos eu sou a primeira! Cabelo seca, se tiver feio a gente faz um coque. Deixar de se divertir, deixar de fazer as coisas por pensar nos outros não prejudica ninguém além de nós mesmos. 

Com as amigas, num churrasco a noite, de roupa e tudo!

Quando eu me descobri como mulher, interessante, desejável... eu já estava acima do peso. Como todo mundo sabe eu cheguei aos 98kg no ápice da minha depressão (isso é outra história, que também já contei aqui). Mas eu nunca fiquei solteira sem ser por opção. Quando eu fiquei solteira - e todo mundo insistindo em me apresentar pretendentes - foi a minha escolha de não perder tempo com algo que não era bom pra mim. Isso é outra coisa que sempre me incomodou: VOCÊ NÃO PODE SER SOLTEIRA. Como se mulher só se valida quando está numa relação. Lembra lá que meu pai me ensinou que eu sou uma princesa e ninguém pode me destratar? Então! Namorar só pra falar que tem namorado com uma pessoa que não tinha nada a ver comigo não era uma opção. Eu queria alguém pra jogar videogame, dormir de conchinha, aceitar os meus momentos em que eu queria estar só comigo ou com as minhas amigas, entendesse meus sonhos e ambições e compartilhassem deles. Eu não podia mudar quem eu era pra me "encaixar" na vida de alguém, e também não tinha o direito de fazer ninguém se encaixar na minha. 

Sabe quando as oportunidades passam e você se arrepende porque você tava com a pessoa errada e aquela que você gostava de verdade tá solteira, daí você termina e a pessoa está loucamente apaixonada por outra... É timming! A gente tem que estar disponível pras coisas boas acontecerem. Se você tá se desgastando em uma relação que não é pra você, que você sabe que não é pra você, mas não quer ser solteira/o você perde as melhores coisas da vida. 

Daí entra a parte da minha felicidade. Foi com um mês depois de um término que eu fiquei com a pessoa que hoje é mais importante pra mim. Já pensou se eu tivesse ali, insistindo? Chorando as mágoas com algo que não estava dando certo? Por puro orgulho? Eu estava disponível, sem procurar preencher aquele vazio e a obrigação de que todos me diziam que eu tinha que ter alguém do meu lado pra mostrar pros amigos ou pro ex que eu estava por cima. 

E sabe aquele negócio de ter alguém que corresponde as suas expectativas?! Eu tenho alguém que vai no parque comigo brincar de carrinho de controle remoto (matando todos os outros maridos de inveja - porque eles tem que fingir que são adultos), que joga videogame, que assiste as séries, filmes, animes, que cozinha e engorda junto comigo porque também não nega um bom vinho, uma boa macarronada, um bom churrasco.

Não importou o meu peso, as minhas manias, os meus gostos. Lógico que temos idéias diferentes e discordamos de alguma coisa. Mas respeitamos um ao outro como indivíduo. E sabe, eu sei que esses dois gordinhos causam inveja em muita gente! O que tem de mulher que dá em cima dele, e homem que dá em cima de mim porque vê a nossa felicidade juntos e anseiam pelo mesmo não é brincadeira. 



A vida não se resume ao seu peso. A vida se resume ao seu respeito próprio. A sua auto estima e vontade de ir em frente. Mas nada muda se a gente não muda. Enquanto não nos acharmos merecedores, não tentamos a sorte com coisas e pessoas diferentes do padrão para aprendermos sobre nós mesmos e nos aceitarmos, nada vai acontecer de bom. O que eu posso dizer é: seja protagonista da sua própria vida. Daí se você quer emagrecer, engordar, cortar o cabelo... não importa. Mas se o emocional não tá bom e bem preparado pra todos os desafios da vida, não é o corpo sozinho que vai tornar tudo melhor.

Aposte sempre no seu caráter, no seu bom humor e nas boas lições que a vida trás. O restante é consequência. 

Abraços!

segunda-feira, 22 de maio de 2017

Quero ver um 8...


Oi gente, como estamos!? 

Então, estou eu aqui numa segunda feira, dia internacional de começar as coisas pra dizer que eu estou me desafiando. Há! Como disse aí em cima no título dessa postagem é que eu quero ver um 8! Chega de 9 nessa balança. Então estou me dando 2 semanas. Pra me reorganizar, pra dar o melhor de mim, pra balancear as coisas. Não digo que vou fazer dieta e atividade física começando hoje, mas digo que vou me policiar na alimentação, beber mais água, e tentar me movimentar. Não quero mentir pra ninguém, principalmente pra mim mesma, mas se eu me policiar e ver um 8 talvez seja a motivação que me falta pra começar de novo. Se eu ver 89.9 na balança já vai ser uma vitória imensa. 

- Primeiro passo eu vou ver se eu tiro a poeira do XBOX que tem UM ANO que eu não ligo e talvez dar uma dançada. 20min é a minha meta por agora. Se eu conseguir pelo menos jogar segunda e terça (meus dias de folga geralmente) já é uma grande vitória. 

- Alimentação até tá mais ou menos. Comi massa com molho bolonhês que é super "rico" (pra não dizer que é uma bomba calórica deliciosa) Mas compensei as coisas. resto do dia só com coisa mais leve. Continuar nessa, me permitir de vez em quando essas "riquezas" mas trabalhar em volta para que o estrago não seja grande.

- Reintroduzir frutas. Confesso que essa é a parte que eu mais peco. E o estranho é que eu gosto de fruta, só preguiça de comprar e comer mesmo. Dá fome dá-lhe bauru. Vamos lanchar uma frutinha, né?!

- Parar de fazer só 2 refeições por dia. Esse foi meu pior erro no outro trabalho. Almoço e janta. Nada mais durante o dia. Sempre desesperada de fome. Até porque eu não tinha folga durante o dia pra comer. Agora eu tô num emprego muito mais tranquilo que me permite fazer tudo certinho. Então vamos aproveitar.

- Desinterrar o meu MyFitnessPal. Era tudo mais fácil com ele. Ou pelo menos anotar as minhas alimentações pra ter algum controle. 

É isso. Segunda que vem eu passo e falo como foi essa primeira semana, e se teve algum resultado. Tomara que em duas semanas eu veja esse 8! Me desejem sorte.


Aé, não sei se meus comentários estão chegando no blog de vocês, não tem aparecido nada pra mim, então por favor me avisem!



:)

quarta-feira, 17 de maio de 2017

Dando as caras!

Oi gente, como estamos? Por aqui... daquele jeito!

Mas... muitas coisas mudaram nesse meio ano que se passou e posso dizer que foram boas. Uma delas é mudança de emprego. O dinheiro tá mais curto, são menos horas trabalhadas mas a cabeça dessa pessoa que vos fala está mais leve, e um pouco mais preparada pra enfrentar o que vem adiante.

Eu gostava bastante do emprego que eu tava, não vou mentir, mas com ele veio muito stress e pouco tempo pra mim mesma. Esse ano em que trabalhei eu me deixei de lado. Virei uma daquelas pessoas que vivem somente pro trabalho. Por mais que o salário fosse bom, a minha energia estava sendo totalmente drenada. Consequência? O peso subiu e lá fui eu pra casa dos 90 de novo. Pra quem chegou aos 60 e poucos, quase 30kg a mais é MUITA coisa.Trabalhar, comer, dormir, trabalhar. Essa foi minha vida no ultimo ano. 

Acaba que a duas semanas a trás eu tive um surto. Cansada, estressada, me senti bem infeliz com a minha situação e acabei pedindo demissão sem mesmo um plano de fuga. Mas graças ao céus e a um bom amigo já estou empregada. Fazendo menos horas, como comentei, mas feliz em ter tempo de curtir meu marido, trabalhando com pessoas bem humoradas e em um emprego que tenho aprendido a gostar. 

Trabalho agora num pub, que também serve comida, então tenho feito bar (servir pints - chopp) além do trabalho que tenho feito no outro que é de servir comida nas mesas (garçonete - waiting on). É mais descontraído, você tem mais contato com os clientes e não tem a pressão e correria que tinha no outro. Tem correria especialmente em dia de jogo porque o pub que eu trabalho é um sport bar, ou seja, tem promoção de cerveja pra quem assiste as partidas no pub fazendo o espaço ficar lotado! Mas ao mesmo tempo não tem a babação de ovo que se tem no restaurante, porque ali você serve a cerveja, recebe o dinheiro e muda pro próximo cliente. Eu tenho me divertido! 

Resumindo, com mais tempo tenho feito mais refeições caseiras, sai da pizza diária, e até consegui abaixar uns 2kg do que tava antes. Isso em 1 semana de trabalho. Agora é aproveitar pra me policiar e "dietar" de novo. Nesse momento to aqui nas minhas frutas secas pra segurar a fome porque quero fazer uma refeição mais reforçada antes de ir trabalhar. Outra coisa que notei é que tenho consumido mais água, porque eu tenho tempo pra isso. No restaurante eu mal bebia um copo por dia por conta da correria.

Ainda não voltei para as atividades físicas, mas ontem mesmo dei uma caminhada com o amado até a praia, aqueles famosos 5k que eu fazia antigamente todos os dias. Não foi com o "intuito de exercício" e sim pra relaxar, mas acaba que queima as calorias do mesmo jeito. 

No mais espero ter novidades boas pra contar daqui pra frente, até porque tem todos os meus planos pro casório parte 2 em janeiro. Não sei se contei pra vocês, mas me caso DE NOVO em janeiro. Dessa vez no Brasil, com meus amigos e familiares. Então quero ver se fico mais "magrinha" pra estar mais sorridente ainda no meu casamento. Não se preocupem, o marido é o mesmo! kkkk

Fazem 3 anos que estamos juntos, que eu me mudei pra Liverpool - Inglaterra, e que a gente tem aprendido um com o outro e se amado cada dia mais. Eu acredito que fui até uma noivinha bonita aqui apesar dos kg a mais porque afinal é a felicidade que conta, né?!

Falar em felicidade, voltei a Edimburgo, dessa vez com o amado! Foi tão bom! Fui no meu aniversário (abril) e ainda ganhei upgrade do quarto por conta da data especial! Vou deixar umas fotos, porque vocês me conhecem, ADORO foto!

Primeiro: Aniversário (Inclusive celebrei no pub que estou trabalhando, porque lá é meu lugar favorito nessa cidade, e inclusive foi o primeiro pub que eu fui no meu primeiro dia aqui em Liverpool.


Teve brigadeiro, beijinho, torta de frango, antepasto de berinjela, e claro mesa de frios! Marido fez uma decoração com balões e bandeirolas... bonitinho demais! <3

Edimburgo: Viagem a dois nas Highlands!


 Jardins, palácios, catedrais, castelos! Ah gente! Foi maravilhoso!

No mais deixo meu abraço, e digo que senti falta desse cantinho. Estou feliz por ter tempo. Pra mim, pro meu blog, pra minha vida! 

Até a próxima!