domingo, 8 de março de 2015

#ProjetoDedaEmForma - Resumo da semana 11!

Oi gente, como estamos?! Por aqui?! Sei lá... 


Acho que nem tem muita coisa pra resumir. Essa semana pra  mim foi o desanimo em pessoa. Tirando na quarta que meu maridíssimo me arrastou pra praia e vimos o por do sol juntos, o resto foi eu em casa. Ando desanimada. Esse mês representa algumas frustrações, mas também alegria pra mim. Eu não sou muito boa em lidar com as minhas emoções. 

Dia 18 completa um ano que eu me mudei. E sabe foi um mudança imensa. Meu casamento é incrível, isso eu não posso negar. Se tem um lugar que eu chamo de lar, é o abraço do Renan. Fora que eu adoro nosso apê. É um flat 2 quartos que a gente aluga, 10min da vista incrível do lago, mais uns 10 min a gente tá na praia. Essa parte romance e casamento eu digo que eu nunca fui tão feliz. Eu nunca tive uma pessoa tão por mim, com tanto cuidado e carinho como o Renan. Ele faz todas as funções sabe. É pai, é marido, é amigo.

Agora tem a parte das minhas expectativas. Não por ele, mas por mim mesma. Eu achei que em um ano de mudança eu estaria trabalhando, ajudando na casa. Daí levando tanto não em proposta de emprego me deixa chateadíssima. Afinal que referencia tenho eu?! Ninguém vai ligar no Brasil pra saber se eu trabalhei ou não. As pessoas não falam português. Fora que é capaz de o povo dizer que nunca me viu na vida, porque não tenho mais contato amigável. Ou seja. Me lasquei 10x. É muito mais fácil alguém que tenha referencia aqui. Complicado, muito complicado...

Também foi a primeira vez que eu não passei o aniversário do meu pai com ele. Sei lá, parece que eu to perdendo ele aos poucos. Eu já perdi tudo que eu chamava família sabe, ele é a única coisa que me resta. Os amigos cada vez se comunicando menos comigo. Eu fico sentindo que eu to desaparecendo da vida das pessoas. Será que só eu me importo!? Só eu sinto falta?! Me entristece as pessoas não tiraram sei lá 30min por mês pra me dar um oi e conversar um pouco comigo. Só sei noticia por atualização do facebook. Eu me sinto tão descartável. 

Daí eu penso... voltar pro Brasil pra que? Pra quem? Até perco a vontade de fazer uma visita sabe. Apesar de eu não ter amigos por aqui, eu tenho um homem que eu amo, e que tá interessado em me fazer companhia. 

Sei lá. Eu queria ter a facilidade que as pessoas tem de esquecer e seguir em frente. Talvez as coisas seriam mais fáceis. Talvez eu não ficasse tão desanimada. Quero parar de lembrar das coisas em que eu não posso fazer parte. E que aparentemente as pessoas não querem que eu faça parte. Essa carência um dia passa. Já foi assim a vida inteira, não sei porque eu não aprendo. Minha família que tem meu sangue virou as costas pra mim, quem dirá os outros...

Enfim, vou sair dessa bad. Espero que logo. Dieta tá mais ou menos. Cheguei a inchar uns 2kg, mas como eu tava no período menstrual eu nem me assustei. Mas hoje de manhã a balança mostrou meus 85kg cravadinhos de novo, o que foi um alivio imenso, porque só faltava eu engordar, ai era pra jogar tudo pro ar mesmo. Essa semana, ficou no zero a zero. 

A única notícia boa é que parece que eu consegui uma vaga no curso de inglês pra estrangeiros numa universidade aqui perto. Coisa de duas estações de trem a frente. Meia hora de distância. Esperar o pessoal me ligar com mais detalhes. Torcer pra que dê certo. Ao menos alguma coisa pra fazer.
 
Até a próxima, se eu não aparecer com postagem no meio da semana, domingo eu volto com o próximo resumo.





Comente com o FACEBOOK!

16 comentários:

  1. caramba...vc está passando exatamente pela mesma coisa que eu. me sinto bem assim. Eternamente sozinha. Amo tudo aqui. Amo onde moro, mto melhor que a outra casa. Essa cidade é melhor que a outra. Mas no fundo trocaria tudo isso por meu emprego que deixei para trás, minha independência, minha família...
    Tb estou tendo dificuldades de arrumar emprego e mais ainda amizades...ninguém especial. Tentei até mas as pessoas são mto diferentes, não tenho muita opção de relacionamentos, então me resta as esposas dos colegas do marido, que são um sacoooo.
    Só DEUS mesmo. O que resta é orarmos e ficarmos felizes (tentar) com que temos. No fundo o que queria agora é ter um filho , uma razão para viver, mas como tenho SOP e meu marido tem uns probleminhas, tenho medo de começar a tentar, não conseguir e deprimir mais ainda.
    Vamos nos acompanhando...qualquer coisa é só chamar. vc tem face? é só procurar Aline de Lima...

    Fica na paz... tudo vai dar certo para nos...

    bju no coração com mto amor...

    ResponderExcluir
  2. Andreia. Amiga, vc mora em um lugar privilegiado, e isso é ótimo ter um companheiro ao seu lado. Quanto a seu pai, realmente é muito difícil de ficar longe da família. Só que a vida é assim, eles nos criam para a vida. Também estou longe da minha família. Então, gravo vídeo, zap, zap, face, e assim vai para amenizar a saudade.
    Amigos, os verdadeiros, podem até sumir por um tempo, mas sempre aparecem. E tem aqueles que a gente acha que é amigo, mas não é, faça sua parte, bateu no coração para deixar um pouco do seu carinho a alguém, vá em frente. É ruim se sentir só, moro no Brasil. Mas, a solidão bate também, por falta de amigos, e com o tempo vamos conhecendo um a outro , mas é difícil a confiança, né.
    Não fique triste não. Vc tem uma família unida. E seus verdadeiros amigos, são eles. Pede a Deus, para iluminar seu caminho, abra seu coração a Ele. E no tempo certo terá a sua Benção.
    Como assim?????? Família virou as costas?
    Que novidade maravilhosa. Uma vaga no curso. Tudo de bom.
    Depois conta para nós como esta esse curso. Hein.
    E sobre a dieta, continue firme, sempre......
    Bjos no coraçao. Iara.

    ResponderExcluir
  3. Oi Andreia,
    Sei que sou nova, mas as vezes sinto que passo por coisas semelhantes. Atualmente eu moro longe dos meus pais, pois faço faculdade em outra cidade. E desde que me mudei, sinto as pessoas se afastando cada vez mais. Amigos que não ligam.. e parece que só eu corro atrás. Passei três meses de férias na minha cidade natal e pouca gente se alegrou com isso e fez questão de me ver. É claro que isso me deixou muito chateada, mas ao invés de passar as férias inteira me lamentando, eu resolvi mudar a perspectiva do meu olhar. "Já que não tenho tanta companhia, vou aproveitar o tempo que tenho sozinha para me cuidar: emocionalmente, fisicamente, intelectualmente e espiritualmente." E foi uma fase de muitas descobertas, de entender por que algumas coisas doíam tanto, por que outras eram tão confusas... Enfim, infelizmente vivemos uma época em que todo mundo é um pouco egoísta, e é claro, isso dói.
    Mas acho que todo esse afastamento é uma oportunidade de se descobrir, desvendar seus próprios mistérios e encontrar novas formas de ser feliz.
    Quanto ao emprego, continue insistindo. Uma hora haverá uma oportunidade.
    E quando o desânimo vier, deixe ele vir, acolha-o. Mas não o deixe ficar por muito tempo.
    Beijos. Que você tenha uma linda semana!

    ResponderExcluir
  4. Olá Andreia,
    Nunca passei por uma experiência tão radical como a tua. Porém, tendo uma vida relativamente estável, imagino o choque que seria ter um mar a separar-me da família, dos amigos e daquilo que conhecia...não deve ser nada fácil. Compreendo que sejas muitas vezes assaltada pela solidão e pela sensação de que foste "esquecida", de que ninguém tem tempo para ti. Porém, acredita que a tua família e os teus amigos não fazem por maldade ou por gostarem menos de ti. A distância é muito grande, e eles continuaram com as suas vidas, os seus projectos, as suas ambições, enquanto que tu ainda estás numa fase de adaptação, e a instabilidade e incerteza em que vives fazem-te sentir sozinha. Pessoalmente, acho que nunca deves esquecer a família, os amigos e o Brasil (mesmo que te dêem menos atenção do que o que querias). Experimenta fazer uma viagem até lá ou pedir que te visitem de vez em quando, para matares as saudades. E, para te sentires mais preenchida no Reino Unido, cria "laços" onde estás. Arranja pequenos hobbies - um curso, um workshop, a escrita - sem nunca desistir de encontrar um emprego ou de ajudar quem precisa mais de ti (o teu marido). Tenho a certeza de que se acreditares e tentares sem nunca desistires a sorte te irá sorrir :) Força!
    Beijinhos e boa semana!

    ResponderExcluir
  5. Tomara que dê tudo certo no curso. Como eu queria voltar a ter tempo e fazer cursos de idiomas várias horas por dia!

    Te desejo muito sucesso por aí e que os pensamentos passem a ser cada vez mais positivos.

    ResponderExcluir
  6. Com certeza vc vai sair dessa!!!
    estamos aqui, qq coisa grita!!!



    um grande beijo e feliz Dia da Mulher

    P.S. Vc conhece o Bloglovin? Estou te seguindo por ele (dá pra usar no cel, no tablet, no note, onde vc quiser.... endereço: https://www.bloglovin.com)

    ResponderExcluir
  7. Andreeia.. minha querida... Deus não consegue nos dá tudo que queremos.
    1) Se vc sente falta das pessoas, procure por elas. A vida é uma correria só. Há pessoas que precisam estar sempre em contato para acharem que isso é amizade. As vezes amizade é muito mais e nem precisa do contato diário.
    Se vc perceber que a pessoa não responde as suas expectativa.. pare de cria-las. Ou então não procure mais as pessoas... nós definimos quem fica ou não em nossa vida...

    2) trabalhe a gratidão maior pelas coisas que te fazem feliz. Como o super maridão, o flat otimo com localização privilegiada. se não treinar a gratidao pelas maravilhas que tem.. Deus sente-se incapaz de faze-la feliz...

    3) relaxe...
    Trabalhar nos EUA é mesmo complicado mas aqui no Brasil tbm é...

    beijos amada!!!

    ResponderExcluir
  8. lindeza.. é que vc é "apegadinha"... não sei muito bem como isso funciona porque sou desapegada até demais..rs.. mas enfim.. sobre trabalho.. quando fui pra europa... tbem não tinha referencias.. e fui em condições bem diferentes.. fui sem ter onde ficar.. sem trabalho.. nada programado.. só a passagem e coragem..rs. mas enfim.. procurei pelo básico.. onde não exigisse tanta experiencia e achei no shopping... vendas ou praça de alimentação é sempre mais fácil.. quinze dias a partir do dia que cheguei e já estava trabalhando.. bjokas e sucesso nega

    ResponderExcluir
  9. Andreia o que posso dizer é que questionamentos são importantes, só com eles vamos aos poucos chegando as decisões. Então você está neste caminho. Espero que solucione as questões possíveis e vai conversando com as impossíveis para este momento. Estamos juntos nessa.

    ResponderExcluir
  10. Infelizmente, isso que você está passando chama-se VIDA. Em cinco anos eu perdi o meu pai, a minha mãe, descobri que tenho mais colegas que amigos no doloroso processo de tratamento de um câncer linfático. Felizmente aprendi que a dor gera crescimento e que podemos rir mesmo com as dificuldades. Não se abandone, acredite na vida, tenha FÉ, muita FÉ! Tudo isso vai passar e você sairá fortalecida desse processo. Um brinde à vida!!
    Precisou desabafar? É só gritar que eu venho correndo.
    Tenha uma semana abençoada!
    Beijão

    ResponderExcluir
  11. Infelizmente, isso acontece aos montes e tb sou uma das que sofre com esses tais "relacionamentos" com amigos, família, etc... Mas vejo que a vida te deu uma linda oportunidade à frente. Seu pai quer sua felicidade e vai entender o seu momento. Seus amigos? Você pode construir tudo novo ou ficar se remoendo pelo velho. É chato dizer, mas, às vezes, avançamos na vida e isso não é tão bem recebido por muitos! Você tem que viver seu momento e ir em frente. Também sou bastante emotiva, vivo perdendo tempo remoendo o passado, lembrando das pessoas, mas a vida é muito curta. A vida pode estar nos dando muito e a gente fica enxergando pouco por não querer se desapegar do passado... Esse comentário é baseado na minha própria experiência, portanto, dê um desconto. A gente julga de acordo com o que tem por dentro. Você recebeu outros comentários, então, cabe a você juntar isso tudo e tirar o melhor de cada um. Estou aqui na torcida. Só uma coisa você não pode deixar de lado: VIVER O NOVO E SER FELIZ.

    ResponderExcluir
  12. Deia,
    Entendo suas frustações. Na verdade, nunca nada estará 100% na vida. Aproveite sua vida com seu marido e este lugar maravilhoso.
    Eu imagino a falta que seu pai faz. Você não consegue vir visitá-lo ?
    Não volta pro Brasil, não! Se eu pudesse, estaria morando fora também =)
    Foco em você, na sua R.A! E aproveite muitoooo o curso! Seu inglês vai ficar tinindooo!
    Um beijo, linda!!
    Ca

    ResponderExcluir
  13. Deia, como eu queria te ajudar com alguma palavra, algum conselho, alguma injeção de ânimo, mas to num período tão bad tbm que nem sei o que te dizer sabe....
    Espero que vc ache a força que precisa pra vencer tudo isso!

    bjs

    fernandamouta.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. Oi Deia! Nossa, quanto tempo eu não passo por aqui e justo hoje eu leio este post que super se encaixa em algo que eu possa contribuir.
    Minha querida, estou a quase um ano me adaptando a grandes mudanças de vida. Por motivos pessoais, por ser uma pessoa muito difícil tive que mudar radicalmente. Não foi de país, infelizmente, mas foi de vida mesmo. Faço tratamento com psicólogo e psiquiatra pq simplesmente surtei com essa situação de me afastar das pessoas...de tudo. Fiquei eu e meu marido maravilhoso que me ama mais q tudo, minha mãe e meu cachorro (q chegou bem nessa época pra me ajudar). Difícil pra mim, difícil pra eles, fiquei todo esse tempo chorando pela vida que ficou pra trás. Eis que faz uma semana q descobri q tenho uma mancha no cérebro, vou hoje ao neurologista com todos os exames pra descobrir o que eu tenho. Sabe o q mudou nessa uma semana? TUDO. Dei me conta q fiquei um ano perdendo tempo chorando por coisas que não voltam mais, por pessoas que tem vidas diferentes agora e que eu preciso seguir a minha. O tempo passou pra todos, e eu fiquei assistindo de camarote chorando no sofá.
    Eu e meu marido estávamos programando um intercâmbio aí pra Inglaterra ano que vem e agora não sei se terei TEMPO pra isso, aquele tempo q eu gastei chorando ano passado. Tudo se resumiu nisso pra mim. Tenho 28 anos e não tive filhos ainda, não viajei tudo que eu queria...enfim...
    Minha querida, fiz esse texto imenso pra dizer apenas: NÃO PERCA TEMPO COM TRISTEZA, principalmente neste lindo lugar. Aproveite as tardes lindas de sol no lago, o curso que está para começar, seu querido marido.
    A vida vai acabar para todos, mas aproveite cada dia como se fosse o último!
    Beijos

    ResponderExcluir
  15. Oro para que seu curso dê certo!! Vai ser muito bom pra você fazer algo diferente! Sei como você se sente, não estou longe da familia, mas as vezes me sinto mais sozinha do que nunca! Amigos, já cheguei a conclusão que ngm é 100%, as vezes as pessoas nem percebem, mas acabam se desfazendo dos outros, isso é muito triste. Mas a vida é assim, cabe a nós aprender a superar esses momentos. Fique bem!! Deus te abençoe

    Bruna

    ResponderExcluir

Obrigada por me acompanhar! Se seu blog não estiver nos meus favoritos, me avise! Juntos em busca de uma vida saudável! =)